pequeno-segredo_22-07-2016

Após escolha polêmica para representar o Brasil, filme “Pequeno Segredo”está fora da disputa do Oscar

“Pequeno Segredo”, dirigido por David Schurmann, não ficou entre os nove semifinalistas ao prêmio de melhor produção estrangeira

Após escolha mais do que polêmica para ser o representando brasileiro no Oscar, o filme brasileiro “Pequeno Segredo” está fora da disputa pela estatueta. A Academia de Hollywood anunciou nesta quinta-feira as nove produções que passaram para a fase seguinte na corrida pelo prêmio de melhor filme estrangeiro.

Cena do filme 'Pequeno Segredo'

Na lista estão “Tanna” de Bentley Dean e Martin Butler (Austrália), “It’s Only the End of the World” de Xavier Dolan (Canadá), “Land of Mine” de Martin Zandvliet (Dinamarca), e “Toni Erdmann” de Maren Ade (Alemanha). Completaram a seleção “The Salesman” de Asghar Farhadi (Irã), “The King’s Choice” de Erik Poppe (Noruega), “Paradise” de Andrei Konchalovsky (Rússia), “A Man Called Ove” de Hannes Holm (Suécia), e “My Life as a Zucchini” de Claude Barras (Suíça).

Destes filmes pré-selecionados sairão os cinco longas-metragens indicados, que serão anunciados junto com os demais candidatos às diferentes categorias do Oscar na terça-feira, dia 24 de janeiro.

“Pequeno Segredo”, dirigido por David Schurmann e estrelado por Júlia Lemmertz e Marcello Antony, tentava quebrar o longo período em que o Brasil não disputa o prêmio de melhor filme estrangeiro. A última vez que o país teve um filme na disputa foi em 1999, com “Central do Brasil”.

A escolha de “Pequeno Segredo”  foi considerada estranha, pois o filme foi escolhido antes mesmo de ter estreado no Brasil, sem grande visão da aceitação do público e a clítica ao longa.

O grande favorito para representar o Brasil era o premiado “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho e com Sônia Braga, Maeve Jinkings, Irandhir Santos entre outros no elenco.

Diferentemente de “Pequeno Segredo”, “Aquarius” vem de uma belíssima carreira internacional, sendo elogiado pela crítica e concorrendo aos mais importantes festivais de cinema do mundo.

Da esq. para dir., Maeve Jinkings, Sonia Braga, Carla Ribas, Kleber Mendonça Filho e Humberto Carrão protestam contra o impeachment da presidente Dilma no Festival de Cannes (Foto: REUTERS/Jean-Paul Pelissier)

A indicação de “Aquaruis” para representar o Brasil no Oscar muito provavelmente fora um boicote, pois a equipe do filme fizeram um protesto em pleno Festival de Cannes contra impeachment de Dilma.

Leia mais em: MIX OU MISTO

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s